Sindrome de Borderline: o que é, sintomas, tratamento

Marque sua consulta com Psicólogo Online

Sindrome de Borderline: o que é, sintomas, tratamento
Avalie esse post

Imagine viver o tempo inteiro no limite das emoções e das atitudes. Uma montanha-russa de sentimentos e comportamentos que mudam em questão de segundos, e sem nenhum aviso prévio. Essa é a vida de uma pessoa com a Síndrome de Borderline.

Doença muitas vezes confundida com esquizofrenia ou bipolaridade, ela é um transtorno grave que se manifesta na adolescência, e seus sintomas se tornam mais frequentes e evidentes no início da vida adulta.

Conheça agora como ela se manifesta, suas principais causas, e como ajudar uma pessoa que tenha esse diagnóstico.

O que é a Síndrome de Borderline

A Síndrome de Borderline, também conhecida como Transtorno de Personalidade Borderline ou Transtorno de Personalidade Limítrofe, é uma doença mental grave caracterizada por mudanças bruscas e repentinas de humor e comportamento.

Uma pessoa com o transtorno de borderline apresenta comportamentos extremos, como o gasto descontrolado de dinheiro, compulsão alimentar, ou o medo extremamente acentuado de ser abandonado por pessoas queridas.

Esses comportamentos e atitudes se alternam com momentos de normalidade, e justamente por isso a síndrome de borderline é muitas vezes confundida com outras doenças como a bipolaridade, mas os sintomas e duração dos surtos tendem a ser diferentes.

Por conta disso, a avaliação de um profissional é fundamental para obter o diagnóstico exato, e como isso poder dar início ao melhor tratamento.

Principais sintomas

Os sintomas de pessoas com transtorno de personalidade borderline se manifestam através de características em seu comportamento.

Indivíduos com transtorno borderline sentem muito medo no que diz respeito ao controle de suas emoções, que acreditam que possam fugir do seu controle a qualquer instante.

Elas também acreditam estar sempre no limite da sanidade. Por conta dessas sensações o nome borderline: borda, fronteira, limite.

Essa sensação de estar fora de controle faz com que os portadores dessa síndrome tenham comportamentos irracionais perante situações de estresse, e criam com isso relações de extrema dependência com outras pessoas para que consigam lidar com esses momentos.

Alguns outros comportamentos indicativos dessa doença são:

  • mudanças bruscas de humor ao longo do dia, indo de extrema euforia a uma tristeza profunda;
  • irritabilidade, agressividade e ansiedade;
  • pânico, raiva e desespero;
  • baixa autoestima, sensação de vazio e insegurança;
  • relações pessoais instáveis, ora com proximidade extrema, ora com distanciamento;
  • descontrole e impulsividade com jogos, comida, gasto de dinheiro, uso de drogas ou álcool;
  • descumprimento de regras e leis;
  • sentimento de extremo vazio e solidão que pode induzir a automutilação e até ao suicídio.

Quais são as causas

Uma das principais causas encontrada pelos médicos para o desenvolvimento do transtorno de personalidade limítrofe é o fator genético. Pessoas com essa síndrome geralmente têm parentes em primeiro grau com o mesmo diagnóstico.

Entretanto, outros pontos podem contribuir para o seu desenvolvimento além predisposição genética. Experiências marcantes na infância como morte de um ente querido, abuso sexual, negligência por parte dos pais, ou passar por alguma doença grave, são alguns exemplos de fatores desencadeantes.

Tratamentos indicados

Um dos principais tratamentos para o transtorno de personalidade borderline é a psicoterapia. Com ela seu portador recebe orientação e ajuda para conseguir controlar novamente seus impulsos e comportamentos.

Porém, o uso de medicamentos como estabilizadores de humor, calmantes e antidepressivos não está descartado e podem, inclusive, contribuir para um melhor resultado da psicoterapia.

A síndrome de borderline traz consequências não só no comportamento do paciente, mas em suas relações com familiares, amigos, influenciando também em sua vida financeira e profissional.

Por isso, orientar seu portador a procurar quanto antes ajuda de um psicólogo é fundamental para restabelecer novamente seu equilíbrio, e assim retornar sua vida com normalidade.

 

Redatora e Produtora de Conteúdo Web | Portfólio

LEIA  Ataques de Pânico e Síndrome do Pânico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *