Automutilação: o que é, suas causas e tratamentos

Marque sua consulta com Psicólogo Online

Automutilação: o que é, suas causas e tratamentos
5 (100%) 1 voto

As pessoas têm maneiras diferentes para lidarem com a angústia e com a dor emocional. Um problema que para uns é facilmente resolvido, para outros pode ser como a pior e mais desesperadora sensação que já sentirem.

Muitos que se sentem assim utilizam-se de meios — nem sempre corretos — para lidar com isso, e a automutilação é uma delas.

Ferir o próprio corpo de maneira intencional não irá resolver os problemas ou fazer com que os sentimentos ruins acabem.

Se você está nessa situação ou conhece alguém que esteja, continue neste post, entenda mais sobre o tema, e descubra qual a melhor solução para se livrar dessa condição.

O que é automutilação

A automutilação caracteriza-se pelo ato de causar ferimentos ao próprio corpo de maneira intencional, mas sem o objetivo de trazer danos graves ou até mesmo de acabar com a própria vida. Esses ferimentos incluem bater em si mesmo, queimar-se ou, o mais comum, fazer cortes na pele com facas e lâminas em geral.

A pessoa que tem o hábito de se automutilar acredita que causar dor física é a melhor maneira de fazer com que a dor emocional termine.

Pessoas nessa condição estão, na verdade, pedindo socorro para conseguir passar pelo sofrimento em que se encontram.

Causas da automutilação

Como dito anteriormente, a principal causa da automutilação é uma profunda e angustiante dor emocional. Essa sensação pode ser gerada por diversos fatores, entre eles podemos citar:

Traumas

Psicológicos

  • ansiedade;
  • tristeza;
  • estresse;
  • sensação profunda de culpa.

Sociais

  • problemas com a sexualidade;
  • intimidações em casa, no trabalho, na escola;
  • dificuldades de relacionamento;
  • pensamentos depreciadores e/ou negativos.

Características

A automutilação pode acontecer em qualquer fase da vida de uma pessoa. Entretanto, as principais manifestações dessa doença ocorrem na adolescência.

De modo geral, as pessoas que se automutilam tendem a demonstrar sentimentos intensos de raiva, baixa autoestima e desesperança.

A automutilação, em muitos casos, está ligada a outras doenças psicológicas. Ansiedade, depressão, transtorno de personalidade Borderline, transtorno de estresse pós-traumático, e consumo de drogas são alguns dos transtornos que podem desencadear ou contribuir para essa condição.

Apesar de não estar relacionada diretamente a tentativas de suicídio — e nem é esse o objetivo inicial de quem vive essa condição — quanto mais tempo passa, em mais situações de risco de morte a pessoa se coloca tentando alcançar seu alívio.

Tratamento

Dificilmente há uma maneira de sair dessa condição por conta própria. Como está relacionado a questões mais profundas, buscar e se permitir receber ajuda é muito importante. Assim, a melhor forma de tratamento para a automutilação é, sem dúvidas, a terapia.

Visto que esse hábito tem a intenção de aliviar uma dor emocional, entender a razão desse sentimento e resolvê-lo é a única forma de colocar fim nesses episódios.

Se você está passando por isso, ou conhece quem esteja, está claro que algo não está bem e precisa ser resolvido. Procure a ajuda de um psicólogo, entenda os sentimentos, aprenda formas saudáveis de lidar com eles, e volte a ter controle de sua vida física e emocional.

Redatora e Produtora de Conteúdo Web | Portfólio

LEIA  CID Esquizofrenia F20-F29

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *