fbpx

05 formas de como se autoconhecer: Autoconsciência e Autoconhecimento

Marque sua consulta com Psicólogo Online

autoconsciência e autoconhecimento: como se auto conhecer

Desde o antigo aforismo grego: “conhece-te a ti mesmo” até a psicologia ocidental, o tema da autoconsciência sempre foi um intrigante tema de investigação de filósofos e psicólogos durante o último século. Neste artigo abordarei alguns conceitos de autoconhecimento e autoconsciência e abordarei 05 formas de como se auto conhecer.

Então, o que exatamente é a autoconsciência?

O estudo psicológico da autoconsciência remonta a 1972, quando os psicólogos Shelley Duval e Robert Wicklund desenvolveram a teoria da autoconsciência.

Eles propuseram isso:

“quando focalizamos nossa atenção em nós mesmos, avaliamos e comparamos nosso comportamento atual com as nossas normas e valores internos. Tornamo-nos autoconscientes como avaliadores objetivos de nós mesmos”.

Em essência, consideram a autoconsciência como um mecanismo importante de auto-controle.

O psicólogo Daniel Goleman, propôs uma definição mais popular da autoconsciência em seu best-seller “Inteligência Emocional”, como “conhecer os estados internos, as preferências, os recursos e as intuições”.

Esta definição coloca mais ênfase na habilidade de monitorar nosso mundo interior, os nossos pensamentos e emoções à medida que surgem.

Na minha opinião, é importante reconhecer que a autoconsciência não é só o que notamos sobre nós mesmos, mas também de como percebemos e controlamos nosso mundo interior.

Além disso, a autoconsciência vai além da mera acumulação de autoconhecimento sobre nós mesmos. Também trata-se de prestar atenção ao nosso estado interior com uma mente de principiante e um coração aberto. Nossa mente é extremamente útil para armazenar informações sobre como reagimos diante de algum evento, planejando sozinha nossa vida emocional. Muitas vezes a mente acaba nos condicionando a reagir de determinada maneira quando nos deparamos com um evento semelhante no futuro. O autoconhecimento nos permite estar ciente desses condicionamentos e preconceitos da mente, que podem formar a base para libertar a mente, tornando-nos autoconscientes.

Por que é importante o autoconhecimento?

A autoconsciência é a pedra angular da inteligência emocional, segundo Daniel Goleman. A capacidade de monitorar nossas emoções e pensamentos de um momento para o outro é fundamental para conhecermos melhor a nós mesmos, de estar em paz com quem somos e gerenciar proativamente os nossos pensamentos, emoções e comportamentos.

Além disso, as pessoas conscientes de si mesmas tendem a agir conscientemente, em vez de reagir passivamente, para ter uma boa saúde psicológica e a ter uma visão positiva da vida. Também têm uma maior profundidade de experiência de vida e são mais propensos a ser mais compassivos consigo mesmos e com os outros.

Então, se o autoconhecimento é tão importante, por que não somos mais autoconscientes?

Bom, a resposta mais óbvia é que a maioria das vezes, simplesmente “não estamos lá” para observar a nós mesmos. Em outras palavras, não estamos lá para prestar atenção ao que está acontecendo dentro ou ao redor de nós.

Os psicólogos Matthew Killingsworth e Daniel T. Gilbert descobriram que quase metade das vezes operamos com “piloto automático” ou inconsciente do que estamos fazendo ou de como nos sentimos, à medida que nossa mente se desloca para outro lugar que não seja aqui e agora.

Além da constante preguiça mental, os diversos vieses cognitivos também podem afetar nossa capacidade de ter uma compreensão mais precisa de nós mesmos.

Além disso, a falta de vontade para procurar feedback também pode nos prejudicar se queremos ter uma visão mais holística de nós mesmos através dos olhos dos outros.

O que complica ainda mais a imagem são os diferentes aspectos do eu com os que nos relacionamos na vida diária. Em sua palestra TED, de Daniel Kahneman, ganhador do Prêmio Nobel por sua contribuição para a ciência do comportamento, falou sobre a diferença entre o eu que se experimenta e o eu que recorda, e como pode afetar nossa tomada de decisões.

Explica como nos sentimos sobre a experiência no momento e como lembramos sobre a experiência, podendo ser muito diferente e compartilhar apenas 50% de correlação. E esta diferença pode ter um impacto significativo sobre a história que nós contamos a nós mesmos, a maneira em que nos relacionamos com nós mesmos e com os outros, e a decisões que tomamos, embora a maior parte do tempo não nos damos conta da diferença.

Faça um Teste de Autoconhecimento e veja seu grau de autoconsciência

5 maneiras de cultivar o autoconhecimento

Crie um pouco de espaço para você:

Quando você está em um quarto escuro, sem janelas, é muito difícil ver as coisas claramente. O espaço que você cria para si mesmo é essa rachadura na parede que deixa passar a luz. Deixe um pouco de espaço e tempo todos os dias – talvez a primeira hora da manhã ou meia hora antes de dormir. Fique longe das distrações digitais e passe algum tempo com você mesmo, lendo, escrevendo, aprenda a meditar e se conecte com você mesmo.

Pratique a atenção plena:

A atenção plena é a chave para o autoconhecimento. Jon Kabat-Zinn define a atenção plena como “prestar atenção de uma forma particular, a propósito, no momento presente, sem julgar”. Através da prática da atenção plena, você estará mais presente com você mesmo para que você possa “estar lá” para observar o que está acontecendo dentro e ao redor de ti. Não se trata de sentar com as pernas cruzadas ou suprimir os seus pensamentos. Trata-se de prestar atenção ao seu estado interior. Você pode praticar a atenção plena a qualquer momento que quiser, ouvindo atentamente, comendo atentamente, etc.

Mantenha um diário:

Escrever não apenas nos ajuda a processar os nossos pensamentos, mas também nos faz sentir ligados e em paz com nós mesmos. Escrever também pode libera mais espaço na cabeça à medida que você deixa que seus pensamentos fluam sobre o papel. As pesquisas mostram que escrever as coisas pelas quais somos gratos, ou até mesmo as coisas com as quais estamos lutando ajuda a aumentar a felicidade e a satisfação. Você também pode usar o diário para registrar o seu estado interno. Tente isso em casa – escolha um dia na semana, preste muita atenção ao seu mundo interior – o que está sentindo, o que está dizendo a si mesmo, e tome nota de tudo o que observa a cada hora. Você ficará surpreso com o que escreve!

Pratique ser um bom ouvinte:

Escutar não é o mesmo que ouvir. Ouvir é estar presente e prestar atenção às emoções, o movimento corporal e a linguagem de outras pessoas. Trata-se de mostrar empatia e compreensão, sem avaliar ou julgar constantemente. Quando você se tornar um bom ouvinte, também ouvirá melhor a sua própria voz interior e você se tornará o melhor amigo de si mesmo.

Obtenha diferentes perspectivas:

Peça feedback. Às vezes, podemos ter muito medo de perguntar o que pensam os outros de nós – sim, às vezes, o feedback pode ser parcial ou mesmo desonesto, mas você será capaz de diferenciá-los de um feedback real, genuína e equilibrada à medida que aprende mais sobre si mesmo e os outros. As investigações demonstraram que o feedback de 360 graus no local de trabalho é uma ferramenta útil para melhorar a autoconsciência dos gerentes. Todos nós temos pontos cegos, assim, é útil ter uma perspectiva diferente para ver uma imagem mais completa de nós mesmos.

A autoconsciência, como é um tema rico e complicado. Como seres humanos, pode ser que nunca iremos nos compreender plenamente. Mas, talvez, é a viagem de explorar, compreender e chegar a ser nós mesmos, o que faz com que valha a pena viver a vida.

Eu gostaria de saber de você. Você diria que você é uma pessoa consciente de si mesma? Como vê o papel da autoconsciência em sua vida profissional e pessoal? Por favor, deixe um comentário abaixo para compartilhar seus pensamentos.

<< 04 vantagens em ser atendido por um Psicólogo Virtual >>

 

4
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Cíntia Paim SantanaAnaCíntia Paim Santana Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Cíntia Paim Santana
Visitante
Cíntia Paim Santana

Não sou…uma derrrota…

Cíntia Paim Santana
Visitante
Cíntia Paim Santana

Não sou…uma derrrota…

Ana
Visitante
Ana

De uns dois anos para cá, sou uma pessoa que entende muito mais de si própria, do que fui por toda a vida. Hoje eu já não procuro mais fugir de situações complicadas e difíceis, pois sei que posso lidar com muito mais facilidade com as minhas reações e sentimentos. As situações mais difíceis são, infelizmente, as que mais nos trazem aprendizado, e eu vejo que, conhecendo melhor o meu eu, tenho muito mais serenidade para viver as situações, conviver com as outras pessoas e ouvir oq elas tem a dizer. Sinto que minha impulsividade para responder aos acontecimentos é… Read more »

Ana
Visitante
Ana

De uns dois anos para cá, sou uma pessoa que entende muito mais de si própria, do que fui por toda a vida. Hoje eu já não procuro mais fugir de situações complicadas e difíceis, pois sei que posso lidar com muito mais facilidade com as minhas reações e sentimentos. As situações mais difíceis são, infelizmente, as que mais nos trazem aprendizado, e eu vejo que, conhecendo melhor o meu eu, tenho muito mais serenidade para viver as situações, conviver com as outras pessoas e ouvir oq elas tem a dizer. Sinto que minha impulsividade para responder aos acontecimentos é… Read more »