Síndrome de Burnout: Sintomas e Tratamento

Marque sua consulta com Psicólogo Online

síndrome de burnout
Síndrome de Burnout: Sintomas e Tratamento
Avalie esse post

Você trabalha no que gosta e lutou muito para chegar aonde está, mas nos últimos tempos sente um estresse fora do comum em sua vida profissional. Irritação extrema, excesso de cobrança interna e externa, carga horária aumentada com produtividade diminuída. Hoje no nosso artigo abordaremos a Síndrome de Burnout, o que é, sintomas, tratamento e sugestões.

A Síndrome de Burnout, de modo geral, afeta pessoas que exercem profissões que exigem muito envolvimento pessoal, mas independente de sua área de atuação, se estiver sentindo alguns dos sintomas descritos acima, pode estar sendo uma de suas vítimas.

Veja agora suas características, sintomas e o que é possível fazer para sair dessa condição e voltar a ter qualidade de vida e alegria no campo profissional.

O que é Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional, é uma doença caracterizada pelo alto nível de tensão, estresse constante, esgotamento mental e tensão emocional desencadeados pelo tipo de trabalho exercido e pelas condições físicas, psicológicas e emocionais que ele causa no profissional.

Os profissionais mais atingidos pela Síndrome de Burnout são aqueles que exercem atividades com alto desgaste emocional, como os da área de saúde, bombeiros, policiais, assistência social, mulheres com dupla jornada diária, entre outros.

Algumas das consequências da Síndrome de Burnout na vida da pessoa é a sensação constante de esgotamento mental e físico. Isso faz com que se tenha atitudes de agressividade, faltas constantes no trabalho, mudanças de humor, crises de ansiedade, depressão, falta de concentração e de memória.

A Síndrome de Burnout começa a se manifestar de forma gradativa e geralmente nessa ordem:

No físico

O profissional, até então uma pessoa ativa e saudável, passa a apresentar sintomas como dores de cabeça e musculares, náuseas, alergias, queda de cabelo, gripes frequentes, raciocínio lento, depressão, impaciência, exaustão e esgotamento mental.

No emocional

Perde-se a personalidade característica com a qual todos estavam acostumados. O profissional com Síndrome de Burnout passa a ter um comportamento diferente e distancia-se das pessoas. Quando tem contato, é realizado de forma negativa, fria, cética e até irônica.

Na produtividade

Drástica diminuição da satisfação pessoal com relação ao trabalho e da produtividade.

Sintomas da Síndrome de Burnout

Além do constante esgotamento mental, a Síndrome de Burnout traz também complicações físicas:

  • dores de cabeça;
  • enxaquecas;
  • distúrbios gastrointestinais;
  • dores musculares;
  • palpitação;
  • sudorese;
  • pressão alta;
  • crises de asma;
  • sono não reparador ou insônia.

Por vezes, a Síndrome de Burnout é confundida com depressão, por isso, para se chegar a um diagnóstico exato é necessário o acompanhamento de um profissional. Ele levará em conta não só os sintomas apresentados pelo paciente, mas também seu histórico médico e suas características profissionais.

E não só perdas na vida profissional sofre a pessoa com Síndrome de Burnout. Os campos pessoais e sociais também são atingidos. Devido às consequências da doença há o afastamento do convívio de colegas de trabalho, amigos e familiares. Por outro lado, quem convive com o portador da Síndrome de Burnout pode fazer prejulgamentos quanto sua atual postura por não conhecer a gravidade da doença, impactando ainda mais em seus sintomas e modo de agir.

Tratamento

É preciso procurar ajuda médica caso suspeite que esteja com a Síndrome de Burnout, pois a exposição excessiva do corpo aos hormônios liberados durante as crises podem desencadear doenças autoimunes, crises de pânico, diabetes e cardiopatias, além de roubar sua qualidade de vida.

Após o diagnóstico médico o tratamento, de modo geral, inclui antidepressivos e terapia. Há também a necessidade por um período de afastamento do trabalho e, quando houver o retorno, que esse seja de forma gradual.

Atividades de relaxamento ou física com regularidade também ajudam a manter os sintomas sob controle.

Sugestões

Para evitar ser tornar uma vítima da Síndrome de Burnout alguns pontos podem ser colocados em prática diariamente:

  • Cuide de você: alimente-se bem, durma, pratique exercícios, tenha momentos de relaxamento e descontração. A vida profissional não precisa ser sua preocupação 24 horas por dia;
  • Avalie sua vida profissional: por mais que goste da profissão que está exercendo, se ela for a causa de doenças precisa ser reavaliada. Verifique possíveis mudanças na dinâmica e até na carga horária;
  • Não coloque dinheiro em primeiro lugar: todos precisam de uma fonte de renda para viver bem, mas quando a maior parte de seus vencimentos estão sendo gastos com exames e remédios, algo precisa ser reavaliado. Trabalhar à exaustão para ter uma renda alta pode não estar sendo tão válido assim;
  • Dê atenção ao seu corpo: não deixe de fazer exames anuais devido ao excesso de serviço e nem deixe de dar atenção a sintomas que indicam que algo está errado com sua saúde. Esse é seu maior bem e dinheiro nenhum paga por isso;
  • Cuidado com o consumo de cafeína, álcool e outras substâncias: querer estar sempre alerta e ativo pode ser altamente prejudicial. O corpo e a mente precisam de períodos regulares de descanso para atender bem todos seus compromissos. Respeite esse tempo;
  • Busque ajuda profissional: não se automedique nem queira sair de um quadro de Síndrome de Burnout sozinho. O apoio e orientação de um psicólogo profissional é fundamental para sair dessa condição e restabelecer seu equilíbrio físico e emocional.

Redatora e Produtora de Conteúdo Web | Portfólio

LEIA  Teste de Procrastinação: Você deixa tudo para depois?