Depressão pós-parto: sintomas, causas e tratamentos

Marque sua consulta com Psicólogo Online

Depressão pós-parto: sintomas, causas e tratamentos
5 (100%) 1 voto

Planejar e esperar durante meses a chegada de um bebê, e depois não sentir alegria quando isso finalmente acontece, é uma realidade que atinge muitas mulheres. O nome dado a essa condição é depressão pós-parto. Essa doença muitas vezes é subjugada por quem está ao redor, mas se não tratada rapidamente, pode trazer graves consequências.

Veja agora suas possíveis causas e como agir nesse momento, seja para sua própria ajuda ou para alguém que está perto de você.

O que é a depressão pós-parto

A depressão pós-parto é uma doença caracterizada pela sensação de enorme tristeza e desesperança, teoricamente sem motivo justificável, que atinge diversas mulheres logo após o parto. As mulheres com depressão pós-parto também experimentam o sentimento de culpa por estarem se sentindo dessa forma em um momento que deveria ser só de alegria, e essa culpa acaba agravando ainda mais a situação.

Inúmeras mulheres sonham com a possibilidade de ser mãe. Esperam durante meses para ver o rostinho do bebê e durante essa espera preparam tudo para sua chegada, imaginam como será tê-lo em seus braços, o cheirinho dele e as roupinhas que irão colocar.

Poucos dias após a realização do sonho e com a chegada do bebê em casa tudo começa a mudar. Toda felicidade simplesmente vai embora e dá lugar a uma tristeza sem motivos.

LEIA  Comportamento e pensamentos suicidos, como lidar?

A depressão pós-parto é uma doença séria que pode ter consequências maiores se não receber a devida atenção, ou não for tratada corretamente. Por isso, é imprescindível acompanhamento médico o quanto antes.

Principais sintomas da depressão pós-parto

Como o próprio nome sugere o principal e mais evidente sintoma da depressão pós-parto é a tristeza. Entretanto, esse sentimento não é o único que se manifesta e outros podem ser observados:

  • distúrbios do sono onde, ou se dorme muito, ou não se dorme;
  • perda de interesse com o que acontece ao redor;
  • desespero e sensação de que não é capaz;
  • mudança dos hábitos alimentares comendo muito ou não se alimentando;
  • alterações no peso corporal para mais ou para menos;
  • irritabilidade;
  • inquietação;
  • indisposição;
  • falta de energia e cansaço constante;
  • sensação de culpa;
  • crises de ansiedade;
  • alterações de humor;
  • crises constantes de choro.

O que causa a depressão pós-parto

Uma das principais causas da depressão pós-parto é alteração hormonal que ocorre com a queda do estrogênio e da progesterona, logo ao término da gravidez.

Mas essa alteração não é a causa isolada e há outros motivos que podem ser gatilhos para desencadear essa doença:

  • mudanças na rotina;
  • horas de sono reduzidas;
  • alimentação feita de forma inadequada ou em intervalos irregulares;
  • mudanças físicas que geram insegurança;
  • mudanças fisiológicas como alteração da pressão arterial, sistema imunológico e volume de sangue;
  • dificuldade na amamentação;
  • ciúmes por parte dos outros filhos ou do parceiro;
  • falta de apoio familiar;
  • problemas financeiros.
LEIA  Sintomas da Depressão: Conheça aqui

Tratamentos indicados

A depressão pós-parto é uma condição séria que requer diagnóstico e acompanhamento médico o quanto antes, a fim de evitar maiores danos tanto para a mãe quanto para o bebê.

Uma das formas de tratamento é a reposição hormonal. Porém, como não se pode atribuir a causa dessa doença somente à alteração hormonal, outros tratamentos também são indicados e sua escolha determinada caso a caso. Para algumas mulheres o uso de antidepressivos e a psicoterapia são os tratamentos mais indicados.

Para saber qual melhor tratamento, procurar ajuda de um profissional é fundamental. Só ele poderá dar as orientações necessárias e esclarecer todas as dúvidas, a fim de ajudar a mulher a sair desse quadro e viver o sonho de ser mãe em toda sua plenitude.